Pesquisar este blog

Translate

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

CADFREELA #47: O desemprego está em alta

O desemprego está em alta
Até os estudantes estão sentindo o quão difícil está para encontrar um estágio e entrar no mercado dos sonhos.



Como a dificuldade é geral e maior do que qualquer especialista pode te ajudar, não sei se posso chamar de dicas o que venho apresentar aqui, mas posso chamar de sugestões.
Provavelmente muitas delas, ou todas, você já tenha tentado, assim como vocês também já tive meus momentos de desespero.
Como hoje estou teoricamente nu m lugar seguro de funcionária pública, por ter passado por muitas coisas acho que vale me manter atenta ao mercado, caso queira ou precise me jogar nesse oceano novamente.
Vamos as “SUGETÕES”, “IDEIAS”, “DICAS”, “ESTALOS” para se colocar no mercado.

1-CURRÍCULO
Essa é teoricamente fácil provavelmente você já imprimiu centenas.
Mas o que diferencia o seu currículo dos demais naquela pilha de currículos?
Além de conteúdo, também capriche na apresentação do currículo.
OBJETIVO: Tem que ter as informações de maneira de fácil leitura e alto impacto, não esqueça que o entrevistador tem pilhas de currículo para analisar, então não adianta o seu estar cheio de firulas e difícil de ele analisar e checar as informações, numa possível entrevista.

2-CARTA DE APRESENTAÇÃO
Atualmente as pessoas mandam currículos por email, e colocam em anexo junto com um email seco e sem cerimônias.
Tem que ser sim cerimonioso, afinal o seu possível empregador nem te conhece, por que ele teria que abrir ou guardar o seu currículo.
APELAÇÃO: Aqui, e não no currículo, que você tem que apelar para o coração do empregador, se apresente, dê um resumo (seja breve) do seu currículo, fale de suas características como profissional, ou seja, convença o seu possível futuro empregador que ele no mínimo precisa abrir o seu currículo.

3-PORTFÓLIO
Esse é seu currículo falado por imagens, e é essa linguagem que seu possível empregador entende de verdade, o currículo ele pode colocar na mão do setor do RH para eles decifrarem.
MÍNIMO: Você fez cursos, fez uns exercícios de diversos softwares, você tem algum conteúdo para apresentar numa entrevista.
Meu portfólio é, o mínimo que se precisa apresentar do que já tenho de bagagem como desenhista, uma pasta catálogo de plásticos onde imprimi em A4 exemplos de tudo que já fiz (marcenaria, executivo, loja, habitação, prefeitura, ...)
Há que prefira um portfólio livro com um cuidado de apresentação, mas se tiver o mínimo já será suficiente.

4-SITES DE VAGAS
Acho que nem preciso falar muito acho que nessa altura você já conhece todos os sites que oferecem vagas de empregos
ORIENTAÇÃO: Esses sites são especialistas, e oferecem milhares de coisas afinal esse é o ganha-pão deles, então vai de cada um e saber se pode e se acha necessário pagar pra ver.
- vagas.com
- infojobs
- catho
- manager
- curriculum

5-REDES SOCIAIS
Os boatos correm e hoje m dia se você não está na internet você não existe, se você é sociável virtualmente, não interessa para os empregadores, o que importa é se você se encaixa no perfil da vaga, então mostre, além de que você viaja pra caramba ou comparece em todas as festas, que você é um bom profissional, poste trabalhos realizados, e coisas relacionados a você como profissional.
LINKEDIN: Você ainda não faz parte dessa rede social? Está esperando o que?
Cada vez mais você deixa de existir profissionalmente (isso vale para você pessoa física, ou pessoa jurídica), essa rede está cheio de mecanismos gratuitos e pagos para relacionamento entre empregados e empregadores, parcerias...

6-NETWORK
Não sabe o que significa? Tudo bem se faz isso mesmo sem saber.
São suas redes de contato, desde trabalho até familiar, nesse momento de desespero quanto mais gente souber que está precisando de trabalho ou emprego ou bico, melhor, pois mais fácil será encontrado.
SPAM: Sabe aqueles spans que você só faz apagar? Pois já pensou em ser você o mensageiro de spam, mandar seu currículo como spam pode ser chato, mas a probabilidade de ele cair na mão certa é maior, tipo aquela relação de folhetos de rua, para cada 100 folhetos um alcançará o alvo, não saberia dizer a relação de quantos spans terá que enviar para atingir o alvo.

7-LUGARES INUSITADOS
Agora pra você que já fez tudo isso, e não sabe mais ode procurar, eis que dou algumas sugestões.
ALÉM: A gente se acostuma a procurar nos mesmo lugares, e acabamos achando que já procuramos em todos os lugares, aí desistimos ou choramos.
Se para trabalhar como desenho (ou seja lá como o que você pretende trabalhar) a gente ache que só alguns lugares específicos é que precisam dos nosso serviços, então ficamos cada vez mais dispensáveis.
Vamos ampliar os horizontes, e procurar além:

LUGARES ONDE PROCURAR OPORTUNIDADES (pela internet ou pessoalmente)
Exemplos em São Paulo
- Escritórios de Arquitetura
- Escritórios de Decoração
- Escritórios de Engenharia
- Construtoras
- Sites de Vagas
- Linkedin
- Link “Trabalhe conosco”
- Sites de Concursos
- Sites de Empresas que aplicam os concursos
- Sindicatos
- Conselho de Classe (CREA, CAU,...)
- Classificados de Revistas (Metálica, Projeto, Casa Cláudia, AU, Finestra,...)
- Associações de Classe (IAB, ASBEA,...)
- Sites da Área (ArqBrasil, CasaPro, ...
- Mural de Escolas para área (Incad, AEA, Highlight, ABRA,...)
- Mural de Faculdades da Área (Belas Artes, FATEC, ETEC, Mackenzie, São Judas, Mauá, FAAP, UNIP, Uninove, Uniban, FEI, FESP,...)
- Estágios (NUBE, CIEE,...)
- Lojas de Construção (Dicico, CeC, Leroy Merlin, Telha Norte, ...)
- Lojas de Decoração (Rua Gabriel Monteiro, Rua Teodoro Sampaio,...)
- Shoppings Especializados (D, DeD, Central Plaza, LarCenter, ...)
- Lojas de Móveis (Tok Stok, Etna, ...)
- Revendedora de Materiais (Pedra, Cerâmica, Cimento, Papel de Parede, Tinta, Pastilhas, carpete, gesso, ....)
- Setores de Engenharia e/ou Manutenção (Fábricas, Hospital, Shopping...)
- Eventos (Festas, Stands, Feiras ...)
- Marcenaria (Madereira, Fábrica de móveis, ...)
- Produtos (Design de Produtos)


Se tiver mais sugestões para compartilhar, utilize os comentários.

Clique para divulgação de oportunidades

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

CADFREELA #46: QUEM NÃO COMUNICA SE TRUMBICA

COMUNICAÇÃO

O mundo hoje está muito fast, tanto que, pelo menos eu, tenho a sensação que estou sempre atrasada nas novidades.

E somos freelancer correndo atrás do nosso lugar ao sol, e para disparar nessa corrida, precisamos cada vez mais nos comunicar, para nos fazermos vistos.

As ferramentas de comunicação são muitas e de fácil acesso atualmente, porém estão cada vez mais complexa de serem utilizadas, pois uma mensagem mal interpretada pode estragar todo um trabalho de anos.

Não quero aqui ensinar ninguém a como se comunicar, mas deixar um pouco da minha humilde vivência, não somente como profissional, mas também como pessoa.




1º DIVULGAÇÃO

Você utiliza que meios de comunicação?
Que meios de comunicação seus clientes utilizam?
Como faz para divulgar?

-Eu comecei enviando disparando emails para centenas de empresas que encontrava pela internet.
-Fiz este blog para divulgar meu portifólio
-E fiz uma página no facebook

Vamos refletir um pouco:
Até o momento os emails, me pareceu render mais resultados, pois acredito que alcançava o objetivo mais certeiramente, o blog e a página só permitiram que o trabalho tivesse mais visibilidade e destaque, o que fez gerar algumas propostas.

2º PÚBLICO ALVO

Você sabe quem é o seu público alvo?
Se é homem ou mulher?
Que idade tem?
Onde mora?
Como conquistá-lo?

Pode parecer meio idiota querer definir um público alvo, pois o que importa é que alguém passe um serviço para você fazer e pronto não importa quem é, bem pode ser que importe sim.

Vamos refletir um pouco:
- Eu faço desenho de arquitetura, então devo estar transmitindo errado quando me procuram para fazer desenho de mecânica ou de instalações prediais.
- Eu utilizo o programa AutoCAD, portanto se alguém quiser desenhos em PROMOB, SOLIDWORKS ou 3DMAX, vou ficar devendo, e por algum engano a pessoa procurou a pessoa errada.
- Por questões logísticas e estruturais, não faço projeto para o cliente final, ou seja, auxilío outros arquitetos ou engenheiros no desenvolvimento de projetos ou obras, para seus clientes, então se este cliente final chegar até mim, infelizmente terei que declinar da proposta.

3º NEGOCIAÇÃO

Conseguiu o trabalho e agora?
A concorrência está te pressionando contra a parede?

O mar está cheio de peixes, uns querendo engolir o outro, e a lei da oferta e da procura na prestação de serviços é mais cruel que no comércio.

Vamos refletir um pouco:
Essa é uma questão que infelizmente não consegui a resposta, o mercado de freelancer é imensurável, pois tem muita gente, tem muito tipo de trabalho, tem muitos softwares, tem diversas formações em diversos níveis, não tem um valor estabelecido de mercado, nem mesmo tem uma noção de quanto está a média.
Então acredito que a maioria de nós negocia num escuro total.

4º ENVIO DO SERVIÇO

Agora que o serviço é seu, como fazer para enviar?
O que enviar?
Como enviar?

Acredito que você saiba desenvolver o seu serviço, portanto a questão é como enviar os trabalhos, pode ser mais simples que o trabalho em si.

Vamos refletir um pouco:
Normalmente quem define como será e o que será enviado é o cliente.
Pode ser email, o arquivo CAD, que é o modo mais simples e comum.
Mas vale lembrar que dependendo do seu cliente ele nem saiba como abrir o arquivo, então nesse momento você precisa dar opções para ele,
Vale nessas horas saber outros métodos de envio, como também formas de enviar o arquivo
O meu preferido por hora é sempre anexar junto o PDF, pois pode ser aberto em qualquer lugar, e fica fácil para impressão de última hora, e deixa um registro de que foi feito e enviado caso o arquivo dê algum problema.

5º TRABALHOS PARA O FUTURO

Tudo muito bem já fez o trabalho já recebeu e agora?
Como estabelecer uma parceria como o cliente?
Como esse cliente pode me gerar trabalhos futuros?

-Para quem pega um freelancer o que vale é serviço, rápido, bem feito e barato, triste mais é o capitalismo que manda
-Para o freelancer o que vale é volume de serviço e pagamento constante, ou seja, mesmo que não se ganhe muito com um trabalho, pode se ganhar muito com vários trabalhos.

Vamos refletir um pouco:
Quando se trata de ser freelancer, o que se estabelece é uma espécie de contrato de emprego, pois provavelmente se fará muitos trabalhos para um determinado cliente (empresa, arquiteto, engenheiro...) então praticamente todos os motivos por que uma pessoa contrata alguém como funcionário funcionará também para o freelancer.
Mas o freelancer tem que pensar como empresa quando é contratado, pois ele não terá um chefe e sim um cliente, então serviço de qualidade, agilidade, prontidão, são requisitos não da sua personalidade de empregado, mas de sua marca como prestador de serviço.

ACRESCENTE COM COMENTÁRIOS

Clique para divulgação de oportunidades

Marcadores